Santo André, * *

Sindserv Santo André repudia comunicado da Secretaria de Educação que pede que docentes retornem na segunda às escolas
Para o Sindicato, o retorno à sala de aula neste momento em meio à pandemia de COVID-19 que continua elevada no país e sem vacinação dos profissionais é irresponsável e extremamente perigoso, porque coloca em risco as vidas das professoras, professores, educadores, trabalhadores da Educação, alunos, pais  e famílias andreenses. 

Por: Viviane Barbosa, Redação do Sindserv Santo André
Publicação: 18/02/2021

Imagem de Sindserv Santo André repudia comunicado da Secretaria de Educação que pede que docentes retornem na segunda às escolas

O Sindserv Santo André manifesta indignação com o comunicado da Secretaria de Educação “Diretrizes para o retorno presencial às Escolas Creches e EMEIEFs” enviado nesta quinta-feira (18) para as professoras, professores e educadores da rede municipal.  O comunicado orienta que os docentes antecipem o retorno presencial às unidades escolares já nesta segunda-feira (22). 

Para o Sindicato, o retorno à sala de aula neste momento em meio à pandemia de COVID-19 que continua elevada no país e sem vacinação dos profissionais é irresponsável e extremamente perigoso, porque coloca em risco as vidas das professoras, professores, educadores, trabalhadores da Educação, alunos, pais  e famílias andreenses. 

Na região do ABC, o Sindserv, a Apeoesp-Santo André e o Sinpro-ABC estão unidos na luta em defesa da Vida e contra o retorno à sala de aula sem vacina. Uma carreata foi realizada nesta quinta-feira (18) para alertar a população andreense sobre os perigos de contrair o novo coronavírus nas escolas. 
 

COVID-19 nas escolas

O medo e a preocupação das professoras, educadores e trabalhadores da Educação andreenses aumentam, principalmente, com as notícias de crescimento de casos de COVID-19 registrados em cidades que autorizaram a volta às aulas presenciais. 

Esse é o caso do governo João Dória (PSDB). Um balanço do Sistema de Informação e Monitoramento da Educação para a Covid-19 (Simed), plataforma que reúne informações sobre casos da infecção nas redes de ensino estadual, mostra que foram contabilizados 741 casos de covid-19 confirmados nas escolas, entre alunos e professores. Destes, 456 casos foram na rede estadual, 14 nas redes municipais e 271, no particular. Outros 1.133 casos suspeitos estão em análise. 

Falta diálogo

O Sindicato se reuniu com a Secretária de Educação, a professora Cleide Bochixio, e alertou os problemas enfrentados nas escolas desde a falta de condições na estrutura física das escolas, que não possuem ventilação necessária e nem condições sanitárias para o cumprimento dos protocolos de segurança de combate à proliferação do novo coronavírus. Importante destacar que nesta reunião, realizada em 28 de janeiro, a secretária informou que o retorno dos docentes aconteceria em 1º de março junto com os alunos, mas voltou atrás causando indignação do Sindicato e dos profissionais da Educação. 

O Sindserv continua sem resposta do ofício com perguntas dos trabalhadores enviado à Secretaria de Educação, no dia 5 de fevereiro.

No documento, o Sindicato destaca questões que preocupam os educadores, tais como: posição da SE a respeito do ensino remoto (os professores não estão tendo nenhum suporte de aparelhos tecnológicos); como ficará a distribuição do “kit merenda” nas escolas; a disponibilização de EPI contra a COVID-19; acesso à plataforma virtual continuará (os ADIs terão acesso?); critérios sobre gravação das aulas; como estão as adequações dos prédios escolares; levantamento sobre quem está no grupo de risco; afastamento dos professores (as) para realização de Mestrado entre outras.


Manutenção do Trabalho remoto e garantia de condições de trabalho

O Sindicato defende abertura de diálogo com o governo Paulo Serra para encontrar um melhor  caminho para o retorno presencial, mas que não seja agora sem vacina para todos os profissionais.

Enquanto isso, a entidade defende a manutenção do trabalho remoto dos professores e professoras, que estão realizando desde o ano passado, e que sejam garantidos pela Prefeitura de Santo André os instrumentos e condições de trabalho adequadas, para seu pleno funcionamento, até que toda comunidade escolar seja vacinada.

Assembleia com trabalhadores da Educação nesta sexta-feira

Professores, educadores e trabalhadores da Educação irão decidir em assembleia do Sindserv se concordam ou não com o retorno presencial na rede municipal sem vacinação contra a COVID-19.

Direção do Sindserv Santo André




Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 9+6948-7446
Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

Reunião Plena do Sindserv Santo André - 22/02/2021