Santo André, * *

Sindserv Santo André participa de audiência pública para cobrar explicações sobre corte no orçamento das casas-abrigo
A diretora do Sindserv Santo André, Junia Oliveira, que faz parte do Conselho em defesa das Mulheres fez uso da palavra e defendeu que a redução da verba deve ser justificada

Por: Vanessa Barboza, Redação Sindserv Santo André
Publicação: 25/06/2019

Imagem de Sindserv Santo André participa de audiência pública para cobrar explicações sobre corte no orçamento das casas-abrigo

Diretora do Sindserv Santo André, Junia Oliveira

O Sindserv Santo André participou de audiência pública na noite de segunda-feira (25) na Câmara Municipal para questionar os cortes do Consórcio Intermunicipal no orçamento do serviço que atende e acolhe as mulheres vítimas de violência e seus filhos. A audiência foi organizada pela Frente Regional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e reuniu também representantes de coletivos de mulheres e dos grupos de Promotoras Legais Populares da região. Participaram as dirigentes Junia Oliveira e Sônia Regina. 

O Consórcio Intermunicipal, que atende duas casas abrigo do ABC (Santo André e Diadema), cortou cerca de R$ 500 mil do orçamento, aproximadamente um terço do valor aportado no serviço.

A diretora do Sindserv Santo André e GCM, Junia Oliveira, que faz parte do Conselho em defesa das Mulheres fez uso da palavra e defendeu que a redução da verba deve ser justificada. “Em 2009 e 2010 foram feitas as reformas das duas casas abrigo e eu fiz parte. Foi um trabalho muito bom.  Hoje o que é oferecido para as mulheres nas casas abrigo me deixa extremamente triste. Essas casas viraram um depósito de mulheres. Antigamente tinha Guarda Municipal 24 horas, acompanhando a mulher e os filhos. Era oferecido cursos, as mulheres eram encaminhadas para empregos, com isso tinham chance de recomeçar. Qual a justifica do Consórcio para diminuir a verba? O que é oferecido hoje tem um custo muito menor do que era oferecido antigamente. É lamentável que a mulher continue sendo massacrada pelo sistema”, ponderou.    

Segundo levantamento feito junto  às Delegacias de Defesa da Mulher do ABC e compilado pela Frente Regional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, mostra que a violência contra o sexo feminino está aumentando; cresceu 33% entre 2016 e 2018. De janeiro a abril deste ano foram instaurados 174 inquéritos policiais sobre este tipo de violência, em Mauá foram 317 inquéritos e Santo André lidera com 440. Em todo ano passado foram 499 estupros no ABC e isso porque a maioria dos casos não são denunciados.

 


Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 3136-0953 /  9+6948-7449
Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa Mtb-28121
Redatora: Vanessa Barboza Mtb-74572
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

14/08 - Assembleia final da Campanha Salarial 2019