Santo André, * *

Sindserv Santo André está na luta pela reclassificação salarial e redução de jornada de mais de 30 categorias
Sindicato tem realizado reuniões com a assessoria jurídica e organizado Tribunas Livres para pautar o legislativo sobre a necessidade de atender às pautas dos servidores

Por: Redação Sindserv Santo André
Publicação: 26/10/2018

Imagem de Sindserv Santo André  está na luta pela reclassificação salarial e redução de jornada de mais de 30 categorias

Montagem/Mídia Consulte

Profissionais da cozinha, psicólogos, fonoaudiólogos, inspetores de alunos, assistentes sociais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, motoristas,  auxiliares administrativos e trabalhadores do setor operacional e da manutenção SOSP Las Vegas procuraram o Sindicato, que está dando amplo suporte, para que conquistem os direitos à reclassificação salarial e à redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais.

Para ajudar os servidores, o Sindserv Santo André realizou reuniões com assessoria jurídica, organizou Tribunas Livres para pautar o legislativo andreense sobre a necessidade de atender às pautas dos servidores e servidoras.  Cerca de 30 categorias estão na luta pela reclassificação.

O Estopim ouviu os trabalhadores, como a assistente social, Janete Alves,  que destacou que há quase 30 anos a categoria luta pela reclassificação. “Por conta de reforma administrativa que houve na década de 1990 nós fomos classificados na tabela de menor  vencimento da Prefeitura para cargos com exigência de  nível superior”, conta. Para o diretor do Sindicato, José Geraldo, os operacionais são   pouco valorizados. “Estamos nas categorias 1,2,3 e 4 e temos os salários mais baixos, até em relação a outros municípios.  Nós fazemos os trabalhos mais rústicos e ganhamos como ajudantes”, explica.

A fonoaudióloga, Simone Bassani, relatou que os trabalhadores e trabalhadoras do setor têm experiência de mais de 25 anos na Prefeitura de Santo André e fazem um trabalho de excelência, qualidade, atendendo uma demanda grande, com casos complexos. "Outros profissionais que são contratados diretamente pela fundação ABC ganham praticamente o dobro,  trabalhando na mesma equipe, na sala ao lado. Isso é muito injusto”, pontua.

A inspetora escolar Márcia Rosani Pereira conta que a categoria é mediadora de conflitos porque trabalha com jovens em liberdade assistida.  “Muitas vezes somos ameaçados e lidamos com adolescentes que não querem estudar, o que torna o trabalho estressante. Ganhamos igual aos operacionais – menor tabela da Prefeitura. Não  estamos pedindo muito, somente o necessário  para continuar”, ressalta.

Em Tribuna Livre organizada pelo Sindicato na quinta-feira (25) a fisioterapeuta Ana Cláudia Toledo, do Centro Hospital de Santo André  falou sobre a situação da categoria, que integra os terapeutas ocupacionais, que há quase 30 anos está desvalorizada.  “ Desde a gestão de Celso Daniel que estamos nessa batalha. Quando a  gente olha para outros municípios como São Paulo,  o salário é mais de 5 mil reais, Mogi das Cruzes,  R$ 4900, São Bernardo do Campo, R$ 4400, Piracicaba 8 mil reais. Nosso salário está em R$ 2880. É uma vergonha essa diferença. Nosso  pedido é que os vereadores possam se sensibilizar com a nossa causa, para reverter esse quadro. Precisa ter um senso de Justiça pra todos. São mais de 29 anos de serviço público, dedicados à população e saúde pública de Santo André”, destacou.

As merendeiras e lactaristas há anos reivindicam a  jornada de trabalho para 30 horas semanais. Elas fazem comida para aproximadamente 30 mil crianças na merenda escolar, entre outros setores, na rede municipal e a jornada excessiva tem desencadeado doenças como as lesões por esforços repetitivos (LER), conhecidas como distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT).

Encaminhamento para o governo

Na Tribuna Livre realizada na quinta-feira (25), o vereador e líder do governo na Câmara, Pedrinho Botaro (PSDB)  disse apoia a luta dos servidores pelas reclassificações e reduções de jornada e se comprometeu em encaminhar a demanda diretamente  para o prefeito Paulo Serra.

Luta é para todos 

 O Sindicato intensificará a luta para que todas as categorias que buscam reclassificação salarial e redução de jornada sejam atendidas.



 

 

 




Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 9+6948-7446
Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

2/09/2021: Comissão da GCM do Sindserv Santo André realiza ato no Paço em defesa da aposentadoria especial